Pontos de Interesse

Parque La Salette
    O Parque de La-Salette é considerado o ex-libris da cidade de Oliveira de Azeméis, marcado pela beleza e tranquilidade. Localizado sobranceiramente à cidade, o parque da cidade comemorou em 2009 o primeiro centenário. A ele rumam milhares de pessoas em Agosto, durante as Festas em Honra de Nossa Senhora de La-Salette.
O Parque nasceu de uma promessa da população de Oliveira de Azeméis a Nossa Senhora de La- Salette rogando pela queda de chuva. A promessa foi cumprida com a construção de uma capela, inaugurada a 19 de Setembro de 1880. Os primeiros trabalhos no parque iniciaram-se a 07 de Abril de 1909. O plano geral do parque foi concebido por Jerónimo Monteiro da Costa, paisagista do virar do século XIX e herdeiro de uma cultura oitocentista em torno da horticultura, jardinagem, conceção e construção de jardins e, à altura, Diretor dos Jardins Municipais do Porto e da Real Companhia Hortícola-Agrícola Portuense. Contempla o berço vidreiro, parque infantil, sénior e desportivo, parque de eventos, parque de merendas e as piscinas ao ar livre.
Localização: Parque Nossa Senhora de La-Salette, 3720-291 Oliveira de Azeméis
2. Parque Temático Molinológico – O Parque Temático Molinológico de Oliveira de Azeméis pretende ser um «museu vivo» das estruturas da confeção do pão e de moagem de cereais, uma atividade com mais de 200 anos de existência. Além de um lugar agradável e de apetência turística, o parque assume-se como um espaço didático e de conhecimento para as crianças e jovens das escolas. O projeto da autarquia, no valor de 1,25 milhões de euros, tem sido, de forma constante, alvo de visitas de pessoas de todo o país. O espaço é constituído por 11 moinhos de água, a maioria recuperados pela autarquia ao abrigo de uma candidatura ao III Quadro Comunitário de Apoio, e os restantes por promotores privados. Um dos principais núcleos procura recriar todo o percurso associado às atividades da secagem, moagem de cereais e ao fabrico do pão podendo os visitantes assistir, ao vivo, à moagem dos cereais e às padeiras a confecionarem o tradicional pão de Ul. A nível museológico há ainda espaço para conhecer as alfaias associadas a este tipo de artes e uma zona multimédia. Um outro núcleo está direcionado para a indústria do descasque de arroz que foi a evolução do declínio da primitiva moagem de cereais.
Localização: R. da Ponte da Igreja 193, 3720-604 Oliveira de Azeméis
  1. Casa-Museu Regional de Oliveira de AzeméisA Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis foi fundada por um grupo de cidadãos oliveirenses convidados pelos seus doadores João Marques de Almeida Carvalho e Constantino José de Carvalho.

A casa que aloja o Museu foi outrora a casa de habitação de João Marques de Almeida Carvalho, que a legou por testamento (com grande parte do seu recheio e a maioria dos seus bens) à entidade que gere a Casa-Museu. A Casa-Museu Regional herdou igualmente a totalidade dos bens de Constantino José de Carvalho, o que levou ao enriquecimento do património da instituição.

Atualmente, os objetos expostos estão distribuídos nos espaços do domínio do museu: jardim, cozinha, logradouro coberto, quatro salas no 1º andar, rés-do-chão e na varanda envidraçada, de estilo colonial.

 

Em exposição permanente, o museu apresenta achados arqueológicos encontrados nos castros de Ul e de Ossela, monumentos em pedra, alfaias agrícolas, trajes tradicionais, objetos em vidro do antigo Centro Vidreiro, barros negros de Ossela e da Fábrica “Regalado”, rádios antigos, fotografias antigas do concelho e material fotográfico da “Foto Paúl”, cerca de cinquenta espécies de animais embalsamados, vinte e cinco caixas de borboletas de várias espécies, uma cozinha antiga equipada com utensílios tradicionais, mobiliário antigo e artístico, uma coleção de cerca de 11.000 jornais, uma réplica da “Pedra de Dighton” e o Gabinete de Leitura Ferreira de Castro. Este último conta com milhares de livros, muitos deles com dedicatórias ao escritor Ferreira de Castro, bem como o manuscrito do seu livro “Emigrantes”. Conta também com várias salas de exposições temporárias.

No percurso histórico da Casa-Museu Regional, importa salientar a publicação de cinco tomos da “Ul-Vária”, desde 1994, com artigos de elevado interesse histórico-cultural, de âmbito local e regional.

Localização: Rua António Alegria, 119 | 372-234 Oliveira de Azeméis

  1. Igreja Matriz de Oliveira de AzeméisMonumento religioso tardo-maneirista, de planta longitudinal, composto por nave única flanqueada por duas torres sineiras e capela-mor retangular a que se adoçam duas sacristias também retangulares. De linhas sóbrias mas elegantes, demonstrando a grande capacidade dos construtores rurais do início do séc. XVIII, todo em cantaria lavrada entre 1719 e 1729, ostenta uma frontaria austera, revestida de azulejo artístico e voltada para nascente.

Sobressai desta frontaria um grande nicho, sobre o frontão da portada, em que se expõe uma movimentada composição escultórica do padroeiro, S. Miguel, obra do século XVIII, representando o padroeiro, em atitude esbelta, derrubando o Espírito do Mal, homúnculo de feições hediondas e pés de bode.

Apresentam-se ainda, nesta frontaria seis janelas de lintel e cornija, sendo duas de vidros coloridos; e um óculo na empena, sobre o qual se ergue uma Cruz de Cristo, entre duas solenes torres sineiras. Na fachada lateral rasgam-se, de cada lado, um portal de frontão semicircular interrompido no primeiro piso e 4 janelões chanfrados. O seu interior é composto por uma nave única, coro-alto, com órgão de madeira, assente em arco abatido onde se rasgam dois pequenos batistérios, lambril de azulejos, dois púlpitos quadrangulares com sanefa e duas capelas colaterais com frontões semicirculares e retábulos de talha dourada.

O Arco triunfal está enquadrado por uma estrutura de cantaria, com pilastras colossais rematadas por pináculos e frontão triangular interrompido, tendo capelas laterais anexas, com retábulos de talha dourada. A cobertura é em abóbada de berço sobre cornija corrida. A capela-mor apresenta um retábulo joanino em talha dourada, da autoria do portuense Luís Pereira da Costa, um trono central e estatuária nos intercolúnios laterais e finalizando este conjunto, uma imponente tela, representando a Ressurreição, do portuense Marques de Oliveira.

Localização: Rua Bento carqueja, 3720-214 Oliveira de Azeméis

  1. Galeria Tomás CostaInaugurada em Novembro de 2008, a Galeria Municipal Tomás Costa tem por missão a divulgação, a promoção, a criação e a valorização da arte moderna e contemporânea nos seus diferentes domínios: pintura, escultura, design, fotografia e outras expressões das artes plásticas. Outra das missões da galeria é a valorização e o enriquecimento da coleção municipal de arte através da aquisição, depósito ou doação de obras que nela tenham sido expostas. Concebida e tutelada pela autarquia de Oliveira de Azeméis a Galeria Municipal Tomás Costa quer-se manter como um equipamento de referência regional e nacional, afirmando-se igualmente no circuito artístico da arte moderna e contemporânea portuguesa.

Na abertura do espaço, a galeria Tomás Costa acolheu uma exposição retrospetiva da vida e obra deste escultor oliveirense nascido em 1860 na freguesia de Santiago de Riba Ul. Desde então tem assegurado uma programação regular acolhendo exposições de pintura, escultura, fotografia e documentais, entre outras.

Localização: Rua Dr. Ernesto Soares dos Reis, 3720-256Oliveira de Azeméis

  1. Berço VidreiroNo nosso País a indústria vidreira é considerada uma indústria tradicional.

Em 1482 foi estabelecida a primeira fábrica de vidro em Portugal, a Fábrica do Côvo, em Oliveira de Azeméis nas imediações do Parque de La Salette.

Desde o século XV e até à década de 90 do século XX, esta fábrica e todas as outras que aqui proliferaram, destacando-se o Centro Vidreiro do Norte de Portugal, foram o núcleo de importantes atividades produtoras, levando a todos os pontos do país vidros de grande perfeição e utilidade.

Em Abril de 2007, fruto de uma vontade conjunta para reavivar parte da história do local berço do vidro e da sua história em Portugal, surge o BERÇO VIDREIRO, no coração deste parque secular. Atualmente as peças de vidro são produzidas artesanalmente na oficina do ‘Berço’ pelo Mestre Vidreiro, Alfredo Morgado. Das suas mãos saem, como antigamente, peças de rara beleza que podem ser compradas pelos visitantes do parque da cidade.

O Berço Vidreiro funciona na «Casa das Heras», no Parque La Salette, tendo sido investidos 50 mil euros na sua recuperação parcial.

Uma visita ao local permite ficar a conhecer como se produzia o vidro há séculos e quais as técnicas usadas, bem como a importância da atividade no concelho desde que foi criada em Oliveira de Azeméis a primeira fábrica de vidro do país.

As escolas são um alvo preferencial do projeto. Presépios, pisa papéis, flores, jarras, fruteiras, castiçais, adereços e pratos decorativos são alguns dos elementos que pode encontrar e adquirir no Berço Vidreiro.

Localização: Parque Nossa Senhora La-Salette, 3720-291 Oliveira de Azeméis

  1. TeMA – Teatro Municipal de Oliveira de AzeméisEm novembro de 2023, após um investimento de cerca de 6 milhões de euros, o antigo imóvel reassume o papel central que teve durante décadas na vida cultural da cidade. A requalificação foi um projeto ambicioso que por um lado respeitou a história do edifício, mas que também o atualizou para os padrões de exigência atuais. O novo teatro conta com equipamentos de última geração, que garantem uma experiência cultural de excelência que imprimem mais dinâmica cultural e de entretenimento à cidade, proporciona mais segurança e conforto aos Oliveirenses e responde de forma moderna e inovadora aos desafios deste século e às necessidades culturais de uma sociedade cada vez mais exigente.

O TeMA surge como um local de referência para os amantes da música, teatro, dança, cinema e todas as outras formas de expressão artística. Albergará uma programação diversificada e inclusiva, que incluirá desde espetáculos de artistas locais, até produções internacionais de renome. Além de ser um espaço cultural multifacetado para vários tipos de manifestações artísticas, o Teatro Municipal de Oliveira de Azeméis desempenhará um papel crucial na educação e formação artística.

Localização: Avenida Dr. António José de Almeida,  3720-239 Oliveira de Azeméis

  1. Maior Stick de Hóquei do Mundo– Localizado num jardim do centro de Oliveira de Azeméis, o maior Stick de Hóquei em Patins do Mundo mede 17,25m, pesa 1600kg e é 15 vezes maior do que um stick de tamanho normal. Esta obra, registada no Guiness Book of Records, foi construída por 3 artistas durante 35 dias, a propósito da realização nesta cidade do 36º Mundial de Hóquei em Patins no ano de 2003, onde Portugal se sagrou campeão mundial.

Localização: Largo Adília Alegria, 3720-256 Oliveira de Azeméis

  1. Ponte Medieval do Manica– Ponte medieval, provavelmente construída no século XIII, como apontam a sua arquitetura românica, de construção de cantaria com um só arco, bem como outros achados.

Esta ponte sobre o rio Ul liga a freguesia de Madaíl à sede do concelho, Oliveira de Azeméis, e faz parte de uma via calcetada que ainda hoje pode ser observada.

  1. Ponte do SalgueiroA ponte, junto à povoação do Salgueiro, que está sobre o rio Ul, situa-se em caminho transversal às principais vias de circulação de quem vem do lugar da Igreja para o de Vila Cova.

Dizem ser romana ou mourisca, todavia não o será, pois apresenta raiz medieval.

Baixa, de dois arcos de traçado inicialmente circular, deformados hoje pela pressão exercida perpendicularmente na parte intermédia que obrigou a linha medieval de cada vão a um desvio em direção à respetiva margem.

Só a parte inferior dos arcos é revestida de cantaria aparelhada, sendo o resto alvenaria, o que permitiu os movimentos de construção. Os pequenos talhamares vêem-se descolados pelo raizame dos arbustos parasitários.

Há bastantes siglas do tipo de outras pontes que são de uma época média a que corresponde o século XIV.

Devido ao seu estado de degradação, foi reconstruída no ano de 2000.

Localização: Rua Ponte Medieval, 3720-518 Santiago da Riba-Ul

  1. Marco Miliário da Milha XIIRetirado do seu local de origem teve diversas localizações, encontrando-se hoje exposto no largo próximo da Igreja Matriz. Este marco assinala a Milha XII até Langobriga (Civitas na zona de Fiães, Santa Maria da Feira) e provavelmente a Milha LX do Itinerário XVI entre Braga e Lisboa, e terá sido erguido durante o domínio do imperador Tibério, entre os anos 23 e 24 da nossa era. É em granito, com 165 cm de altura e 40 cm de diâmetro.

     Tem inscrito:                  

    TIB. CAESAR.DIVI.AVG

    FILIVS.AVGVSTVS

    PONTIFEX.MAXVM

    TRIB.POTESTAT.XXV

    XII

    Significa: “Tibério César Augusto, filho do divino Augusto, Pontífice Máximo, no ano 25 do seu poder tribunício. Milha 12”.

    Localização: Rua Doutor Bento Carqueja, 3720-214 Oliveira de Azeméis

12.Casa de Sequeira MonterrosoImóvel de arquitetura popular, de planta retangular, de grande sobriedade e depuração arquitetónica, destacado pela pedra de armas, a qual se crava entre duas sacadas, que tal como as janelas são de padieiras direitas e cantarias lisas. A fachada principal eleva-se em dois pisos, com dupla entrada central simples de vãos retangulares, correspondendo a dois janelões com sacada, no segundo piso. Piso térreo com oito vãos diferenciados e piso superior com quatro janelões quadrangulares enquadrando as duas sacadas centrais.

Localização: Rua Bento Carqueja, n.º 75 a 85

  1. Monumento a Ferreira de Castro Do escultor Eduardo Tavares, foi inaugurado a 30 de Dezembro de 1966 por ocasião das comemorações do cinquentenário da publicação de “Criminoso por Ambição”, o primeiro romance do escritor Ferreira de Castro.

A escultura em bronze representa e homenageia o Emigrante, uma figura paradigmática na obra do escritor e que simboliza simultaneamente a condição social outrora vivida por muitos oliveirenses.

Localização: Rua do Emigrante, 3720-130 Oliveira de Azeméis

  1. Casa dos Corte Real – Arquitetura civil privada, tardo-maneirista. Palácio urbano de planta retangular e alçados relativamente baixos e de grande sobriedade decorativa, com capela do mesmo estilo, adossada à direita do seu corpo, de planta longitudinal e nitidamente riscada com aprumo estético. Conjunto composto por volumes articulados com coberturas diferenciadas. Com uma fachada principal de dois pisos, a casa ostenta, ao centro, uma escadaria única e perpendicular virada para a Praça, com largo lanço de 14 degraus. O primeiro piso compõe-se por duas portas, à esquerda da escadaria e duas janelas e porta central à direita, correspondendo, ao nível do segundo piso, a janelas de sacada, sobre mísulas caneladas, e pedra de armas da família titular com escudo esquartelado dos Vasconcelos, Brandões Soares e Silvas.

Localização: Rua do Emigrante, 3720-130 Oliveira de Azeméis

  1. ChafarizLocalizado em frente à Igreja Matriz está o Largo do padroeiro S. Miguel, com um chafariz, cuja coluna pertenceu a um pelourinho existente na Praça José da Costa, demolido a 27 de Maio de 1864.

Este chafariz esteve outrora na Rua do Mártir.

Localização: Rua Bento Carqueja, 3720-214 Oliveira de Azeméis

16.Palacete da Família BrandãoCasa “Bloco” vertical, sem azulejo, com influência do Neoclássico (francês). A construção deste belo e imponente edifício, dos finais do século XIX está envolta numa peculiar história. Nasceu de um sonho e depressa se transformou num pesadelo. O seu proprietário, Manuel Brandão, fez fortuna no Brasil. Quando regressou quis construir uma casa como não havia igual em Oliveira de azeméis e arredores. O entusiasmo inicial depressa se consumiu na voragem das verbas reclamadas pelos custos da construção. Incapaz de aguentar a pressão desencadeada por tão grande empreitada, Manuel Brandão suicida-se com um tiro na cabeça. A viúva, D. Joana Augusta de Castro Brandão, apesar de fulminada pela dor, revela-se uma mulher determinada e não descansa enquanto não vê a casa concluída. Ainda viveu longos anos no palacete de estilo francês, na companhia de seus filhos. Quando, em 1930, o marechal Carmona, Presidente da República, se deslocou a Oliveira de Azeméis para inaugurar o Monumento aos Mortos da Grande Guerra, foi esta a casa escolhida para o então Presidente da República pernoitar. 

Localização: Rua António Alegria, nº 15, 3720-234 Oliveira de Azeméis

A nossa localização